[Fechar]

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Digitais

Por mais fértil que seja a nossa mente, nunca pensamos em presenciar certos acontecimentos. Como a queda de um cometa, o encontro não planejado com um ídolo na rua, ou de algo que entre para a história, seja do mundo,  ou apenas de uma pessoa...
Minha imaginação fértil nunca imaginou que eu veria você partir, enquanto eu ficaria aqui.  Afinal, a probabilidade de isso acontecer era ínfima! Porém, o ínfimo é o suficiente para o destino.
Permaneci aqui e estive lá, na sua partida.
Pergunto-me agora se a saudade é maior para quem vai, ou para quem fica. E logo depois percebo que tal pergunta é um tanto boba não é? Não existe nada que meça a saudade.
A saudade existe. Apenas. E isso por si só já é algo difícil para se lidar.
Sua partida me fez lembrar que nossas digitais nunca se apagam na vida das pessoas que nós tocamos¹ e que eu nunca havia escrito algo sobre as digitais deixadas em mim, não só por você.
“ Tu é lerdo viu?” , “ Eu boto fé!”, “ Não quero saber de nada não, meu amigo”, “Paaaaarceiro...”, “Porque tu ta assim?” , “Vai dar tudo certo pô, calma!” , “A gente vê isso ai!”
Foram dias tristes. Dias cinzentos. Dias difíceis...
Dias que seriam bem mais difíceis, se não tivéssemos uns aos outros.
O corredor é pequeno, mas ironicamente nele tenho a sensação de fazer parte de algo maior e lá consigo aprender coisas que só os maiores podem ensinar.
O corredor é pequeno, mas também é grande. Por conter grandiosidades invisíveis aos olhos.


  
Companheirismo, afeto, cumplicidade, amor... Isso existe entre a família, as pessoas que se amam, entre os amigos, entre aquele corredor...
Esse corredor, meu grande, vai ficar consideravelmente menor sem a sua presença...
Foram dias alegres. Dias iluminados. Dias felizes.
Dias bem mais felizes, pois tivemos uns aos outros.
Hoje, nos despedimos de você. Da nossa convivência diária. Carregando no peito o desejo que tudo de certo , enquanto a saudade transbordava pelos nossos olhos.
Hoje nos despedimos de você, mas não se preocupe. Pois sabemos dizer adeus as pessoas que amo sem tira-las do nosso coração².
Então, até logo.

¹Trecho do filme lembranças
²Charles Chaplin
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...