[Fechar]

sábado, 29 de junho de 2013

A ultima lágrima


-Não chora não!- Pedi quase suplicando sentindo uma enorme vontade de abraça-lo. Hesitei. Seria seguro?
Ele estava irreconhecível, não se parecia nem um pouco com o homem que a momentos atrás afirmava para mim que nunca chorava.

Afinal, onde havia parado o monstro que até então estava diante dos meus olhos?
Um mostro... - Repeti aquilo para mim mesmo e um nó se fez em minha garganta.
Não. Ele não era um monstro! Era apenas um cara frio. Um cara que ficou frio, sei lá o porquê...
Talvez no final das contas eu fosse o verdadeiro monstro. Por julga-lo, ser egoísta, cruel e por ser incapaz de espalhar o amor, que acreditava existir em mim, sem esperar nenhum retorno.

Então eu o abracei. Forte, deixando aquela hesitação de lado, permitindo que aquela ultima lágrima levasse embora o monstro que existia em mim. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...